sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Museu de Delfos

 
Frontão Leste do Templo de Apolo Arcaico
 
O centro do frontão é ocupado por Apolo, numa biga puxada por quatro cavalos e dos seus dois lados adornando o quadro, temos  os Kuoroi(esculturas de homens nús) e Kuorai( esculturas de mulheres vestidas), e ainda nos dois cantos tem um grupo de animais mostrando o leão atacando os mais fracos, como veados e cabritos.
 
 
 
 
 
Nos cantos do forntão podemos ver um leão atacando um animal mais fraco, um cabrito e logo a seguir as estátuas de Kuorai(esculturas de mulheres vestidas) ao lado do deus Apolo que conduz uma biga com quatro cavalos. 

 



 



Desenho restaurando o Frontão Leste do Templo de Apolo
O tema do frontão são so versos de Ésquilo Eumenides, que trata do retorno do deus Apolo a Delfos e sua despedida em Atenas :
E então Apolo retornou a sua terra, o Parnassus
E ao seu lado, com alegria saudaram-nos
Os filhos de Hefphaistos prepararam o seu caminho
E prepararam a terra que antes era selvahem
E ele foi recebido com honra
Por todo o povo e pelo seu chefe, o rei de Delfos.
 

 
A lei do mais forte é a lei da selvageria. Com Apolo as leis da civilização predominam
 
Leão ataca um animal mais fraco e o despedaça, no canto esquerdo do Frontão do Templo de Apolo Arcaico.
Apolo é o deus da luz, da ordem , da civilização e é por isso que ele chega a Delfos, quando os filhos de Hephaistos preparam o seu caminho e cultivam a terra e impedem a selvageria, da lei do mais forte.A civilização tem regras civilizatórias, comuns a todos os homens civilizados, que sem elas cairiam na barbárie, no saque, no assassinato, assim como fazem os leões com as animais mais fracos.A civilização por sua vez significa o progresso comum a todos os homens, o que portanto exalta o deus da Ordem, Apolo.