sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Santuário de Athena Pronaia

Santuário da Athena Pronaia
 
 
 
Templo de Athena Pronaia
Templo Dórico arcaico, onde restaram apenas algumas bases de umas colunas e os remanescentes de algumas paredes. Foi abandonado no Séc IV a.C.
 
 
Primeira Etapa da Peregrinação ao Santuário de Delfos.
Os peregrinos chegavam primeiramente ao santuário de Athena antes de ingressarem no Santuário de Delfos. Um pouco atrás do Templo de Atenas ficava o Tholos, um prédio arredondado do Séc IV a.C., cujo propósito e dedicação são desconhecidos, contudo estes tipos de prédios eram dedicados a deusas e no II Milênio a.C. esta área era consagrada a deusa Gaia e a sua filha Themis. Segundo os registro, os deuses neste santuário manifestavam-se através do ruído das ´´aguas que corriam no interior da falha, também pelo farfalhar de folhas e os ruídos internos da terra em seu vulcanismo
 
Fonte Castalian
Onde os peregrinos, saídos do Santuário de Atenas e em direção ao Santuário de Delfos purificavam-se banhando-se nesta fonte, próxima a esta fonte fica a entrada do Santuário de Delfos.
 
 
 
Fonte Castalian
Com um canal em pedra onde a água escorre cristalina.Na verdade existem duas fontes, esta próxima a estrada de rodagem e que foi construída em torno do ano 590 a.C. e que foi descoberta em 1960 e a outra datada do Séc I a.C. e fica cerca de 50 metros de altura  acima desta e que foi descoberta em 1878. Acima destas fontes tem um ravina cercada pelas  Rochas Phaidriades, local onde segundo se acredita, foi jogado o genial Esopo, autor das Fábulas de Esopo, em razão do que foi considerado uma brincadeira com o delfim, herdeiro do trono.
 
 
Santuário de Delfos visto da Fonte Castalian
Um outro mito ligado ao Monte Parnaso é a do Cavalo Pégassus, nascido do sangue da Medusa decapitada por Perseu. Foi aqui neste monte onde Pégassus, com uma patada, fez brotar a fonte Hipocrene, que tornou-se o símbolo da inspiração poética.