domingo, 9 de dezembro de 2012

Museu Nacional de Arqueologia de Atenas

 
Período Clássico
 
Estátua de bronze de jovem Atleta
Encontrado na baia de Maratona, Áttica. A escultura mostra um jovem vencedor em uma corrida, como sugere a sua banda na sua cabeça com uma ponta virada para cima na parte frontal da cabeça.
É considerado uma obra prima do período clássico tardio e é associada a escola de Praxíteles. entre 340 a 330 a.C.


Estátua de Bronze de um Jovem
Encontrada em um naufrágio de Antikythera. A figura foi identificada como Perseu, que poderia estar segurando a cabeça da Medusa. Mas também é provável que mostre Paris, que poderia estar segurando a maçã da competição, pronta para premiar a mais bela das deusas, Aphrodite. Atribuído ao escultor Euphranes. Cerca de 330 a.C.
 
 
 
Retrato de Bronze de um Atleta
Encontrada em Olímpia. O homem está coroado com o ¨kotinos¨, a coroa de oliveira , prêmio dado aos vitoriosos nos Jogos Olímpicos, da qual apenas os galhos estão preservados. As feições da estátua levou a identificação da figura como a de um boxeador. A cabeça provavelmente pertença a estátua do famoso boxeador Satyros de Elis, que repetidamente vencia os eventos de boxe em Nemea, Pythia e Olympia. A estátua de Satyros em Olympia foi trabalho do escultor de bronze ateniense Silanion. Em 330 a 320 a.C.
 
Cabeça de Mulher
Em mármore da ilha de Paros. Encontrada no sul das encostas da Acrópole ateniense. O cabelo ondulado está preso por uma banda de fita, uma característica que levou a provável identificação como a de Ariadne. Atribuída a escola de Skopas. Em 300 a.C.
 
 
 
Cabeça de um Jovem
Encontrado na Stoa de Eumenes no sul das encostas da acrópole ateniense. É a cabeça de uma estátua de Ares Lodovial. Copia romana da estátua de Ares possivelmente feita por Euphranon em 330 a 310 a.C.
 
Cabeça de um Jovem
Mármore pantélico. Encontrada na área de Metaxourgeio, Atenas. A jovem cabeça tem as duas mãos na cabeça com as palmas preservadas. Pertencia a uma estátua que era a cópia feita no Séc II d.C. de uma original do Séc IV a.C. Personagem com semelhança de Apolo Leikos
 
 
 
Cabeça de Mulher, provavelmente Hygieia.
Mármore. Encontrada em Tegeia, Arkadia. A jovem cabeça com cabelos ondulados e penteados para trás, transpiram a divina beleza e a graça.As caracteristicas da escultura pertencem a estátua de Hygiéia, esculpida pelo grande escultor Skopas, no final do período Clássico, de 350 a 330 a.C.
 
 
Hygéia, a pérola do Museu Nacional
Nada poderia definir melhor esta obra clássica, como a ¨divina expressão da graça e da beleza feminina¨, o que sem dúvida demonstra a grande capacidade do escultor clássico Skopas. A encantadora cabeça de mármore da Hygéia foi encontrada por Alexandre Fidelfio, o curador do Museu Nacional de Atenas, numa tulha de trigo, em certa aldeia da Arcádia e a chamou de ¨A Pérola do Museu Naciolnal¨
 
 
Hyghéia, filha de Asklepio( ou Esculápio para os romanos)
Asclépio, era o deus grego da medicina,originalmente um simples mortal, não só curava os doentes com ressuscitava os mortos. Zeus fuzilou-o com um raio a pedido de Hades, uma vez que seu império estava ameaçado de despovoar-se, pois ninguém mais morria! Sua filha era Hyghéia,  era quem o auxiliava nos seus trabalhos de preparação e cura dos pacientes, primórdios de uma medicina racional . Hoje nós temos a palavra ¨Higiene¨, originária de seu nome e de seus conceitos aplicados de medicina preventiva.
 
 
 Estátua de Themis
Themis era filha de Urano e de Géia. É considerada a deusa da Justiça e é representada sempre com uma balança.
 
 
Cabeça do Titan Anytes
 
 
 
 
Cabeça de Deméter
Deméter era uma divindade agrária, identificada com a romana Céres. É a mãe de Perséfone, a rainha dos infernos. Ela foi seqüestrada por Hades para ser sua rainha mas Deméter não concordou e estancou toda a produção agrícola condenando os humanos a morrer de fome. Zeus interviu e fez um acordo com Hades e Deméter para liberar Prosepina na primavera, permanecendo com sua nmãe até o inverno.Desta forma mitológica foram definidas as quatro estações do ano.
 
Estátua de Asklépios
Mármore pantélico. encontrado em Mounichia, no santuário de Asklépios, no Piraeus. Um trabalho do Séc II a.C., que repete uma escultura anterior de Asklepios , feita pelo escultor Skopas em 350 a 300 a.C.
 
 
 Estatueta de Asklépios
Mármore. encontrada em Asklepieion em Epidauros. O deus apóia-se em seu bastão, por onde sobe a cobra, que é considerada o animal sagrado. em 150 a 100 a.C.
 
Estatutueta de Asklépios
Mármore panatélico em Epidauros. O deus apóia seu bastão, que deve ter ficado inacabado. A cobra sobe pelo bastão, que é o animal sagrado do deus e o seu símbolo. Trabalho dos tempos romanos, copiado de uma estátua do Séc IV a.C.
 
 
                                           
Grupo Votivo
Mármore pantélico. Encontrado em Epidauros. Mostra dois meninos e uma menina com seus braços em torno de um e de outro. Provavelmente são crianças de Asklepios, cercadas por adoradores.
325 a 300 a.C.
 
 
Retrato em bronze da cabeça de um filósofo
Bronze encontrado em um naufrágio ocorrido em Antikythera. A cabeça com cabelo desgrenhado, a luxuriante baraba, o espesso bigode mostra realisticamente um filósofo e suas feições naturais.
 
 
Cabeça de um Filósofo
A cabeça é parte de uma estátua onde as restantes mostram o filósofo em pé, vestindo um longa veste , o himation e na mão direita segura um bastão e a esquerda estendida parece um gesto característico de um orador. As feições sugerem ser as do Filósofo Cínico, provavelmente Bion, o Boristhenite. Começo de 240 a.C.
 
Estátua de Poseidon
Mármore de Paros. Encontrado em Milos,com a estátua de Amphitrite, esposa de Poseidon e deusa do Mar.Em tamanho colossal mostra o deus quase nu, vestindo um manto longo, um himation, cobrindo a parte baixa do corpo. Na mão direita levantada segurava um tridente. Em 125 a 100 a.C.
 
 
 
Retrato da Cabeça de um Homem
Mármore de Ilha. encontrado nas encostas oeste da Acrópole de Atenas. A cabeça era parte de uma estátua. O tema provavelmente era de um dirigente helenístico, entre estes Mithridates VI rei de Pontos(132 a 63 a.C.)
 
 
 
Retrato de um dirigente
Mármore pantélico. Encontrado no santuário de Apolo em Delos. A cabeça era parte de uma estátua. O diadema confirma a identificação com um dirigente, provavelmente Alexandre o Grande ou Mithridates, rei do Pontos. Em 125 a 100 a.C. Mithridates, em 88 a.C. atacou e destruiu o Santuário de Apolo em Delos e toda a população de 20 000 pessoas ou foi morta ou vendida como escravo!A palavra mitridates hoje significa alguém capaz de suportar altas doses de veneno, uma vez que anteriormente a pessoa ingeriu progressivamente doses de veneno para obter esta imunidade. Assim fez Mithridates(132 a 63  a.C.) imunizava-se contra a possibilidade de ser envenenado. Foi derrotado pelo general romano Pompeu e fez-se matar por um de seus soldados  em 63 a.C.