sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Asklepion

                      Passeio pelo Centro de Cura, Asklepion
Coluna Jônica da Galeria Norte
 
Coluna Coríntia na Galeria Leste
 
                            
Base de uma coluna com nítidos sinais de Asklépio esculpidos
O símbolo do deus grego Asklépio( ou Esculápio para os romanos), era o deus da cura, e tinha como símbolo mais evidente o caduceu, que era um bastão de loureiro ou de oliveira enlaçado por duas serpentes e com duas asas na parte superior, mas também eram seus símbolos o galo, significando a vigilância e a serpente, símbolo da prudência e da eternidade.
 
Galeria Leste e as Salas de Dormir
As salas de dormir, estavam cercadas pelas Fontes Sagradas,nas galerias Sul e Leste. Os pacientes eram induzidos a dormir nos Salões de Dormir, chamados de Abatons, em condições inspiradoras de tal forma que sonhassem e depois quando acordados estes sonhos eram interpretados pelos Médicos-Sacerdotes, chamados de Asklepíades. De acordo com a interpretação dos sonhos seriam determinadas as formas de tratamentos e terapias. 
 
Kryptoporticus
Os pacientes poderiam chegar as Salas de Dormir do Templo de Asklépio de forma circular, através de um subterrâneo de 70 m de co0mptrimkento, chagando a esta passagem em arco, chamada de Kryptoporticus, como proteção para os pacientes das condições climáticas. Um ambiente místico, cercado pelo som das inúmeras fontes sagradas que cercavam a área produziam uma agradável sensação de bem estar. 
 
Subterrâneo entre o Templo de Asklépio e as Salas de Dormir
Através deste subterrâneo com 70 m de comprimento o paciente era transportado do Templo de Asklépio até as Salas de Dormir para terem seus sonhos interpretados pelos Médicos-Sacerdotes e ter o seu tratamento.
 
                             
Templo de Asklépio
Templo de forma arredondada como o Panteão de Roma e com o domo que tinha na parte de cim¨oculous¨, um buraco em forma circular para entrar ar e a luz. Desde que não fossem mulheres grávidas ou pacientes na iminência de morrer( a morte era considerada um desrespeito aos deuses), os doentes eram trazidos primeiramente para este templo como preparação para o processo de cura e depois transportados para as Salas de Dormir através do subterrâneo.
 
Fontes Sagradas
Em torno e dentro do subterrâneo existiam inúmeras fontes sagradas, cujo som deveria criar um ambiente místico, produzindo uma sensação agradável no paciente.
 
Bela e elegante seqüência de colunas jônicas
A galeria norte tem uma seqüência de elegantes colunas jônicas com fuste canelado e capitel em pergaminho. Esta enorme sequência abrigava uma stoa, isto é, um local de reunião pública onde eram discutidos os grandes temas políticos e filosóficos. Este hábito greco-romano  de livre circulação de idéias permitiu não só o brilhantismo da civilização clássica, como também a propagação do cristianismo que curiosamente, ao adotar o moralismo judaico-cristão caprichosamente limitou e censurou esta liberdade de expressão permitindo apenas a pregação religiosa.O Renascimento ocorrido a partir do século XIV, permitiu novamente esta livre circulação de idéias, especialmente em sociedades constitucionais e democráticas.
 
Dutos de água para a Piscina
As águas das fontes sagradas eram canalizadas para a Piscina onde os pacientes podiam banharem-se.
 
 
Piscina onde os pacientes poderiam banharem-se.
 
 
Escadas que davam acesso aos banhistas a piscina
 
Galeria Norte e a Elegante Seqüência de Colunas Jônicas
 
Teatro do Centro de Cura
O teatro foi construído por um nobre cidadão de Pérgamo, cujo nome acabou apagado pelo tempo.Tinha capacidade para 3500 pessoas e era planejado na forma de um semi-círculo.A audiência era dividida em duas seções horizontais, separadas por um parapeito que podemos ver na metade dos degraus, chamado de ¨diazoma¨ e a parte de cima da audiência era construída como uma galeria de colunas.Os degraus intermediários espalhavam-se radialmente e eram divididos em cinco seções ou ¨cavea¨
 
Os assentos do teatro eram em mármore
Como se pode ver no centro da foto, existia um camarote de mármore no meio da seção mais baixa para pessoas da elite social.
 
Colunas e Domo na parte Superior
Na parte superior do auditório do teatro tem esta seção de colunas jônicas que sustentavam uma cobertura da parte superior deste auditório.
 
                          
Galeria Norte
Deixando o Asklepion pela Galeria Norte
 
                         
Galeria Norte
Série de colunas jônicas e degraus da antiga Stoa do Asklepion.
 
Via Tecta, ou Caminho Sagrado
Saindo do Asklepion pelo Caminho Sagrado tendo a acrópole de Pérgamo em frente e acima.
 
Vista final da Acrópole de Pérgamo
Com as colunas do Templo de Trajano com algumas arquitraves.Parte da acrópole de Pérgamo foram transferidas para o Museu de Pérgamo de Berlim, para onde foram levados após suas descobertas em escavações de 1871 feitas pelo engenheiro alemão Carl Humann.Os que forem a Berlim não devem perder a oportunidade em visitar este museu.
 
Teatro da Acrópole de Pérgamo
Construído na encosta do morro para dar melhor espaço para os 10 000 espectadores que se motivavam com as idéias difundidas pelo teatro grego de Sófocles( Antigona, Electra, As Troquinias, Édipo e o Rei,Ajax, Filoctetes e Édipo em Colona),Ésquilo(As Suplicantes, Os Persas, Os Sete Contra Tebas, Prometeu Acorrentado, Oréstia, os Coéforos e as Eunmênies) e Eurípedes(Medéia, Hipólito, Andrômaca, Hécuba, Íon, Ifigênia em Aulida, As Bacantes.), despertando consciências entre os seus cidadãos gregos de uma alcance tal que superaram os mil anos da Idade das Trevas da Idade Média e chegaram até  os nossos dias!