segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Tróia


Visitando Tróia
 
Cartaz Mostrando as Nove Tróias( Camadas de I a IX)
Para o melhor entendimento do visitante, este cartaz logo na entrada do Sítio Arqueológico, demonstra na forma de um corte vertical as inúmeras camadas de construções,as nove camadas urbanas de cidades construídas no mesmo local e em diversas épocas. Começando pelo ano 3 000 a.C. foram ao todo construídas nove cidades, sendo que aquela destruída pelos gregos na famosa guerra de Tróia, corresponde a camada VII, portanto a sétima cidade construída  e segundo os indícios e datações arqueológicas, destruída no ano de 1184 a.C. A última camada urbana sobreviveu até durante ao auge do período romano, no ano de 300 d.C.
 
                               
.Escadarias de Pedra
Os primeiros indícios da antiga Tróia aparecem na forma desta escadaria antiga muito bem preservada e restaurada.
 
                                  
Fundações de Muralhas e Torres
Datadas de 2 500 a.C., portanto, bem antes da Tróia destruída pelos gregos. Estas ruínas estão ainda num processo de escavações e portanto estão cobertas com um amplo toldo sustentado por uma estrutura de metal.Os visitantes são conduzidos por corredores balizados e também acompanhados por guia especializado que dá explicações em inglês.
 
Corredores entre muralhas
Penetramos nestes corredores espremidos por entre altas muralhas de pedra.
 
Escavações protegidas por um toldo
 
 
Visitantes e as altas muralhas de pedra
 
 
Corredores serpenteiam entre altas e grossas muralhas de pedra.
 
 
Diversos patamares e paredes de pedra sõa distribuídos por todo o sítio arqueológico.
 
 
Parte do Teto de um Palácio
Os tetos dos palácios, já no período romano, adotavam esta técnica decorativa dos caixões, onde tornavam assim a estrutura muito, mas muito mais leve. além do qual acrescentavam grande belêza decorativa.
 
 
 
Escavações arqueológicas protegidas por um toldo.
                          
Megaron de tijolos, construído sobre fundações de pedra das muralhas defensivas
 
 
Torres de Observações
Parte do sistema defensivo de Tróia, agora em ruínas.
Placas indicando as diversas camadas urbanas
Nas escavações em curso, as diversas camadas de construções urbanas são indicadas por pequenas placas, no caso, estamos diante da camada de Tróia II, Tróia III e Tróia IV.
 
 
                             
Rampa de entrada do Palácio
O Palácio tem uma base na forma de um tronco de pirâmide, com uma extensa rampa para facilitar o acesso.
 
 
 
Bases das paredes da base do Palácio e da Rampa de Acesso.
 
 
Construções, também na forma de pirâmide, em torno do Palácio            
 
 
 
                         
Rampa de Acesso ao Palácio
O Palácio estava assentado sobre esta base de oedra na forma de um tronco de pirâmide e esta rampa dava acesso ao Palácio.O Palácio está datado desde o ano de 1700 a 1250 a.C. e portanto não deve ter sido conhecido pelos gregos que destruíram Tróia, no ano de 1184 a.C.
                          
                              
Santuário ao Deus Hélio
Desde o ano 1000 a.C. logo após a destruição de Tróia pelos gregos até 500 d.C., Começa com a Tróia VIII e vai até durante o período romano, ou seja a Tróia IX, e após a cristianização do Imperio romano.
 
 
 
  
                          
                              
 
Teatro Odeon.
Pequeno teatro usado para as apresentações de poesias, poemas e palestras sobre os temas filosóficos e políticos, bem com peças teatrais e músicas. É datado do ano 80 d.C. até o ano de 500 d.C., portanto plenamente durante o período romano, ou seja a Tróia IX. Com a decadência e destruição do Império Romano os teatros Odeons foram decaindo em ruínas e no abandono.
 
 
                             
 As Planícies diante de Tróia
Provavelmente foi olhando para esta planície que o rei de Tróia, Príamo viu o exército grego se posicionar para atacar sua cidade. Destas muralhas também viu seu filho, o grande e nobre guerreiro perfeito Heitor, ser morto em combate singular por Aquiles, o guerreiro invencível e este por sua vez,  sendo morto com uma flexa no calcanhar, o único lugar de seu corpo  vulnerável!Foi por cima destas muralhas e diante destas planícies que Helena, a rainha de Esparta, esposa de Menelau, agora protegida pelo seu trágico amor, o príncipe Páris, sentiu suas esperanças se abalarem. Cassandra a profetiza menosprezada por ter rejeitado o deus Apolo,  via suas profecias serem temerariamente desacreditadas, como quando avisou que o Cavalo de Madeira era um truque mortal dos gregos e pediu para que ele fosse queimado! Foi aqui, diante desta planície, que Ulisses( ou Odisseu) deu início a sua fama que o projetou por todos os séculos, iniciou sua Odisséia e levou sua esposa Penélope  a sofrer o assédio dos príncipes gregos, e teceu seu famoso tapete, tornando-a a prometida, a esposa fiel e inalcançável. Foi diante destas planícies que Agamenon, rei de Micenas,irmão de Menelau,comandante das forças gregas, alcançou a sua glória por vencer a guerra de Tróia, mas encontrou sua desgraça ao ser traído por sua esposa Clitmenestra, mãe de Efigênia a quem Agamenom matou em sacrifício, para obter dos deuses os ventos necessários para a esquadra grega partir para Tróia.Nós , pobres profanos, o que podemos saber sobre tudo isso? Talvez Jorge Luis Borges, o grande poeta argentino nos dê uma pequena orientação quando comenta o fato do Chefe Vicking  Hengist estar arregimentando homens para realizar ataques na Europa medieval e diz: ¨Traerán espadas y broqueles, yelmos con la forma de jabalí, conjuros para que se multipliquen las mieses, vagas cosmogonias, fábulas de los hunos y de los godos.Hengist los quiere(pero no lo saberá)para que yo trace estas letras.¨O que poderia Homero pensar diante destas palavras?Sim todos estes gigantes da história humana, somente fizeram o que fizeram, em suas tragédias gloriosas, para que Homero traçasse seus poemas!