segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Pamukkale III

Pamukkale, suas Muralhas Medievais e Piscinas Naturais
 
 
                                  
Deque e as Muralhas Medievais
Acima das piscinas naturais de Pamukkale foi construído um deque de passagem e praças que permitem a ampla circulação dos visitantes. Atrás podemos ver as ruínas das suas Muralhas Medievais.


                                     
Muralhas Medievais
Podemos ver que Hierápolis até ser abandonada lá pelo ano de 1100 era uma verdadeira fortaleza. Esta muralha data dos tempos medievais e era formada não só das muralhas defensivas como também de torres quadradas de observação com dois andares.Podemos ver também que a muralha foi construída ainda na faixa de terra que não está coberta pela placa de calcário de Pamukkale, preservando assim, para muita sorte nossa, este fenômeno da natureza!

Fontes Borbulhantes de Águas Termais
Para todo o lado que se olha, próximo as bases das muralhas vemos borbulhar inúmeras fontes de água termais!


Piscinas naturais se formando a partir de depósitos da água termal.
 
                                   
Muralhas Medievais
Construída com ameias em seu parapeito, a construção destas muralhas visavam principalmente a defesa das povoações Bizantinas contra as forças muçulmanas de Seldjuk e que vinham da região de Konya, região esta até hoje ocupada por correntes fundamentalistas muçulmanas.
 
 
Fonte Abastece Os Terraços
A água canalizada de uma fonte chega em grande quantidade aos terraços. 
                                     
Água Canalizada de Fonte Chega ao Terraço em Grande Quantidade
 
 
                                    
A Água Alaga os Terraços em Frente a Muralha Medieval
 
Muralha Medieval Destruída
O abandono da área de Hierápolis e conseqüentemente da Muralha parece ter sido depois do terremoto ocorrido no Séc XIV. Antes disso as ruínas de Hierápolis parecem ter sido ocupadas apenas por pastores e suas pequenas fazendas dotadas pelas autoridades Otomanas.
 
 
Nascente Borbulhando Água em Grande Quantidade
 
A Brancura em Torno dos Terraços só é Interrompida Pelas Águas Azuis das Piscinas
 
 
Grupos de Turistas Destacam-se Contra o Fundo Branco dos Terraços
 
 
Silhuetas Escuras Movimentam-se em Torno de uma Piscina Azul
 
 
 Piscinas Naturais vão se Formando Próximo ao Deque de Passagem
 
Piscinas Naturais Formam Bordas e Acumulam a Água Termal das Fontes
 
 
 
 Piscinas Naturais Com as Bordas Já Formadas
 
 
 Deque de Madeira para a Passagem dos Visitantes e as Piscinas Naturais Com Água.
 
 
 
Lago Circular Formado na Praça, Abastecidos Pelas Fontes do Centro de Hierápolis
 Canal Que Drena a Água das Fontes do Centro de Hierápolis
 
 
Piscinas Naturais Secas No Crepúsculo
Conforme a necessidade as águas são retiradas ou colocadas nas diversas áreas dos terraços em razão de um manejo das águas das diversas fontes.
 
 
 Piscinas Naturais Secas Aguardando as Águas que são Manejadas Pela Administração do Parque.
 
 Efeito das Piscinas Naturais e Suas Bordas Brancas no Crepúsculo
 
As Piscinas Naturais Aumentam e Formam Estas Bandejas de Calcário


 
O Gotejamento da Água Formam Esta Série de Estalactites
 
 Bordas das Piscinas Com Estalactites.
 
Os Terraços Formam Piscinas em Série e Ficam Bem Acima do Terreno.
 
 
 
 O Vale Vai Escurecendo Enquanto o Branco dos Terraços Ainda Brilha!
O Branco Dos Terraços Destaca-se Mais Ainda no Crepúsculo
 
 
Algumas Piscinas Ainda Mantém Água No Fundo
 
Deque Para Circulação Dos Visitantes Fica Bem Acima dos Terraços.
 
 
Saindo de Pamukkale pela Porta Bizantina Sul
E assim deixamos em paz os antigos, suas histórias e seu passado, suas existências trágicas, lembradas por nós ainda que por um instante.Deixamos a noite livre deste local para os lamentos, os ruídos, o clangor de correntes , o arrastar de pés, os sussurros a denunciar crimes que já se foram. A apressada respiração,gemidos e prantos, suspiros ! Mas como diz o poeta Mário Quintana:¨O que mais me amedronta é o pranto dos recém-nascidos: aí é que está a voz de um outro mundo!¨