sábado, 2 de fevereiro de 2013

Pamukkale I

Visitando os ¨Castelos de Algodão( Pamukkale)
 
Mancha Branca Na Paisagem
Fizemos a viagem de Kuzadasi até Pamukkale, penetrando no interior da Turquia até chegar a uma região conhecida como Antiga Caria. Ao chegarmos próximos a Pamukkale a primeira coisa  que se vê é esta mancha , imensa , estendida e branca, cobrindo tudo,  parecendo a primeira vista, o depósito de uma mina ou então um grande deslizamento de terra que rasgou em larga extensão a paisagem!

Taludes Com Mais de 100 Metros
Prosseguindo em nosso passeio começamos a notar agora estes inacreditáveis taludes brancos com mais de 100 m de altura e que nos levam ao topo de um platô que fica a mais de 600 m acima do nível do mar! Estamos chegando aos incríveis  e brancos Terraços Travertinos, assim apelidados por formarem piscinas naturais brancas repletas de uma água transparente e azul, como se fossem piscinas feitas com o famoso mármore Travertino. Contudo os Turcos preferiram apelidar esta terra  fantástica e quimérica como ¨Pamukkale¨ ou Castelos de Algodão .
 
 Estação de Recepção de Turistas
Com bares, restaurantes e um bom comércio de lembranças para os turistas que visitam Pamukkale, onde se pode caminhar a vontade sob uma imensa cobertura e com os serviços que necessitamos bem a mão.
 
 Guichê de Entrada para Pamukkiale e Hierápolis, ou o ¨Güney Kapisi¨.
Até agora só falamos de Pamukkale em razão do seu ineditismo inigualável, porém dividindo os acesso com Pamukkale existe o Sítio Arqueológico de Hierápolis. Portanto, entrando neste portão e seguindo os caminhos, você tanto pode optar por visitar Pamukkale como o Sítio Arqueológico.Na frente do portão tem um letreiro com grandes letras metálicas e douradas indicando que este é um sitio considerado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

 
 
Muralhas Antigas de Proteção a Hierápolis
As propriedades terapêuticas das águas de Pamukkale já eram conhecidas desde a antiguidade a milhares de anos atrás, o que fizeram com que os reis de Pérgamo construíssem uma cidade neste local no Séc. II a.C.Depois da sujeição deste reino ao Império Romano em 129 a.C. a cidade teve um grande e contínuo desenvolvimento, quando então até três imperadores visitaram o local . Simultaneamente com este interesse dos Imperadores Romanos havia também um grande fluxo de peregrinação para  venerar o deus Apolo, sua mãe Leto bem como a Cibele, a deusa da fertilidade.
 
 
Entrada nas Muralhas de Hierápolis
O Portão de Entrada nas Muralhas de Hierápolis é conhecido como Portão Bizantino do Sul, construído no Séc V d.C.. É entrando por este portão que temos a opção de seguir na direção do Sítio Arqueológico de Hierápolis ou para as Piscinas Travertinas.
Portão Bizantino Sul
Portão para a cidade de Hierápolis da Phrygia, como era então conhecida esta cidade, e podemos notar duas coisas de imediato, os imensos blocos de pedra usadas neste portão são de mármore Travertino e também que o portão é bem baixo e mal dá passagem a uma pessoa.
 
Grossas e Inexpugnáveis Muralhas de Hierápolis
Não foram suficientes para conter o crescimento vertiginoso do cristianismo nem a decadência dos deuses pagãos o que fez a cidade entrar em declínio. Depois vieram ataques dos Árabes e Turcos muçulmanos,  que fizeram  a cidade ser abandonada no ano de 1100.Os vestígios de Hierápolis só foram ser descobertos no ano de 1957 por uma missão arqueológica italiana.
Portão Bizantino Sul Visto Pelo Lado de Dentro
 
 Templo de Apolo
O Templo de Apolo está presente neste cenário desde o Séc III a.C.
 
Portão Bizantino Sul visto de dentro e muralhas restauradas.
Teatro Romano de Hierápolis
Datado do Séc II d.C. ainda é usado no Festivais Internacionais da Canção de Pamukkale(www.turkcevizyon.com) que ocorrem anualmente em junho e acomodam cerca de 7 000 espectadores, comparados a sua antiga capacidade para 10 000 pessoas. 
                                     
Caminhos entre as ruínas de Hierápolis que levam a Pamukkale, os Terraços Travertinos.
 
Ruínas de Colunas de Mármore Entre as Palmeiras
 
Chegando a Pamukkale
Saindo de um bosque de palmeiras vemos de súbito um espetáculo inédito, inesperado e extraordinário! Um amplo campo branco, como se fosse coberto de espessa neve, formado pelo calcário que vai aos poucos se depositando carregado pela água saturada.
 
Sobre o Amplo Espaço Branco de Calcário formam-se Piscinas com Águas Azuis e Transparentes