terça-feira, 5 de março de 2013

Balões Sobre a Cappadocia I

Saindo para um Passeio de Balão Sobre a Capadócia

Habitações Milenares
Estamos esperando a condução que vai nos levar para o passeio de balão sobre a Capadócia e assim enquanto esperamos podemos apreciar este monumento da existência humana na Terra, que são estas habitações escavadas na pedra em Göreme
A rocha macia, chamada de tuff permite a escavação para preparar uma habitação desde os tempos neolíticos( 5 000 a 2500 a.C.), período este em que o homem já está polindo a pedra, dedicando-se a  agricultura e  a criação de animais domésticos .Portanto este local vem a ser o local habitado continua- mente  mais antigo do mundo! As pessoas que habitam estas residências escavadas na pedra estão associadas a nossos  ancestrais, os primeiros habitantes neolíticos conhecidos.
 
Local onde é servido o café da manhã
Fomos levados por uma condução para o local da decolagem dos balões, que dispõem de um restaurante onde é servido um bom café da manhã para os passageiros, antes da decolagem!
 
 
Interior do Restaurante
Restaurante onde é servido o café da manhã para os passageiros que vão decolar no vôo de balões sobre a Capadócia.
 
Balões preparam-se para a decolagem
Depois de fazer o café da manhã, os passageiros começam, a se reunirem em torno dos balões que se aprestam para a decolagem. Os grupos são dispostos rigorosamente diante de seus respectivos balões e assim se aprontam para embarcar.
 
 
Cenário Extraordinário
Enquanto os balões são inflados para a decolagem nos damos conta que estamos diante de um cenário extraordinário! Algo que desafia a nossa percepção do familiar e da corriqueira rotina, pois em torno destes monstros que inflam diante de nossos olhos se descortina a moldura de um cenário irreal, as formações rochosas da Capadócia!
 
Os Balões Vão Decolando
Alguns dos balões, já inflados começam a sua lenta subida em direção ao alto!
 
Enquanto a emoção suprime a respiração ao balão sobe, rompendo a madrugada!
 
Vai-se a primeira pomba despertada...
Recorrendo a Poesia, conseguimos expressar um pouco melhor  o misto de  emoção, assombro  e surpresa que sentimos na hora. Portanto recorrí ao nosso poeta, Raimundo Correia(1859 a 1911), que embora tenha sido um poeta parnasiano, exprimia-se através de metáforas, com muita precisão.
 
Vai-se outra mais... mais outra...enfim dezenas
 
De pombas vão-se dos pombais apenas
Raia sangüinea e fresca, a madrugada
 
 
E à tarde, quando a ríspida nortada
Sopra aos pombais, de novo elas serenas,
Ruflando as azas, sacudindo as penas
Voltam todas em bando e em revoada
 
 Também dos corações, onde brotam
Os sonhos, um por um céleres voam
Como voam as pombas dos pombais
 
 
No azul da adolescência as azas soltam
Fogem...mas aos pombais as pombas voltam
E eles aos corações não voltam mais
Já toda a terra adormece
Sai um soluço da flor
Rompe de tudo um rumor,
 Leve como uma prece...
Anoitecer. De Olavo Bilac(1865 a 1918)
 
Bafeja o teu espírito e ridente como um hino, o alarido no ar se perde...
 
 
A fé levai-lhes no queimar de hinos, como outrora os Apóstolos divinos...
 
 
Dos grandes pensamentos inspirai-vos, correi, correi às multidões!
 
Pêndulos que se agitam no infinito, que se ouve da eternidade o grito...
 
Tudo agora começa o seu caminho...da luz o brilho, da palavra a idéia...
 
                                     
Lançai perfumes, transbordai de amor! Para tudo que nasce, vive e sente...
 
 
Alvoroçados, saltam das moitas fantásticos, duendes, dos jardins e dos rosais...
 
                                   
Os Fênix sacros a voar, enchem de cânticos o ar e vão passando...passando
 
                                       
Ó gente ousada mais que quantas, no mundo cometeram grandes coisas...
 
O condutor de nosso balão foi esta senhora, segura, eficiente e muito alegre!
Tufos de calcários em forma de chaminés
 
Rica na memória do tempo, os habitantes transformaram em habitações o calcário...
A cesta de passageiros do balão, vai aos poucos se erguendo...
Ó potestade, que ameaça divina ou que segredo...
Tufo de calcário moldado pelo vento, assim é a paisagem exótica da Capadócia.
Os queimadores rugem e erguem o balão com cerca de 20 passageiros!E isto é um peso considerável, acima de uma tonelada e meia pelo menos!
 Rugindo os queimadores vão produzindo o ar quente necessário para erguer a incrível carga de 20 passageiros!
Primeiro a cesta com vinte passageiros se ergue centímetros e lentamente vai ganhando  altirude! 
 
 Com esforço o gigantesco conjunto de balão, queimadores e passageiros se ergue no ar, chegando a paz da altitude!
 
 
                                      Sobre os céus da Capadócia e suas exuberantes formações rochosas, desprendem-se os balões para uma viagem de sonho!
 
 Já estamos no ar. Assim iniciamos nossa jornada a bordo de um balão sobre os céus da Capadócia.