quinta-feira, 18 de abril de 2013

Visita a Çamlika, em Istambul

 
Visitando Çamlika
Atravessando o Bósforo
Passando da margem européia para a asiática, estamos viajando na direção de Çamlika, uma colina com 282 m de altitude e que nos dá uma visão privilegiada do Bósforo a partir de seu topo.


Instalações no Topo da Colina de Çamlika
O local é muito bem cercado e portanto seguro, ajardinado e com uma infra estrutura de apoio ao visitante para lanches e refeições bem como sanitários tudo isso  de excelente qualidade.

Amplos Espaços Bem Ajardinados
O topo da colina de Çamlika é muito bem ajardinado com uma excelente disposição de áreas amplas e espaços para exibir o cenário do Bósforo, logo abaixo.

 Vista da Ponte Atatürk e o Distrito de Örtaköy
Podemos ver a arrojada ponte de Atat6urk sobre o Bósforo, construída em 1973, sendo a primeira ponte do mundo a unir dois continentes, a Europa e a Asia.
Ponte Ataürk e a Margem Européia do Bósforo, vista do Lado Asiático

                                   
O trânsito sobre a ponte Atatürk parece estar flutuando sobre o Bósforo.

Ponte Atatürk, a margem européia do Bósforo e o Distrito de Besiktas.


Margem européia e o Distrito de Ortaköy
Podemos ver a Mesquita de Ortaköy, cercada com tapumes coloridos, em razão de trabalho de restauro.
Ponte Atatürk e o Distrito de Besiktas,  na margem européia.

Tavessia de um trânsito intenso sobre a Ponte Atatürk.
Na margem asiática podemos ver a Academia Militar Kuteli, que durante a Guerra da Crimeia funcionou como hospital e Florence Nightingale executou seus trabalhos de assistência aos soldados feridos e revolucionou as técnicas de enfermagem.

Trânsito Intenso Sobre a Ponte Ataturk
Ao fundo podemos ver o Distrito de Besiktas e o porto de Arnavutköy

 

Vista da Ponte Atatürk e ao fundo a Ponte Fatih Sultan Muhamet.
Duas obras assombrosas de engenharia que cruzam o Bósforo com plataforma suspensa. A segunda Ponte Fatih Sultan Muhamet, construída em 1988, é considerada uma das maiores pontes suspensas do mundo e foi construída no mesmo local em que o rei Dario, rei dos persas de 521 a 486 a.C. construiu uma ponte flutuante em 512 a.C. para atravessar seu exército com a finalidade de atacar a Grécia.